Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

« Junho 2018 »
Junho
SeTeQuQuSeSaDo
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

diarioOficial (1).jpg

facebook-icon.png    twitter-icon.png

YouTube_Play.png    flickr.png

 
» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 Maio Oficinas orientam sobre a importância de implementar a vigilância sociossistencial
11/05/2018 - 10h25m

Oficinas orientam sobre a importância de implementar a vigilância sociossistencial

Técnicos Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social também esclarecem dúvidas sobre como preencher o Registro Mensal de Atendimentos

Oficinas orientam sobre a importância de implementar a vigilância sociossistencial

Os municípios da região norte tirarem suas dúvidas a respeito da implantação da Vigilância Socioassistencial e sobre o Cras e o Crea

Responsável por alocar recursos, definir e fortalecer serviços, a Vigilância Socioassistencial em Alagoas requer atenção dos gestores municipais. Por este motivo, a Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) está promovendo oficinas regionais sobre o tema.

Nesta terça-feira (8), na cidade de Maragogi, foi a vez dos municípios da região norte tirarem suas dúvidas a respeito da implantação da Vigilância Socioassistencial e sobre o Registro Mensal de Atendimentos nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Na medida em que as informações  sobre ambos os centros são registradas mensalmente pelas unidades, é possível mapear tanto a oferta de determinados serviços, quanto o volume de atendimento. Assim, o RMA tem um papel essencial no planejamento e na tomada de decisões no campo das políticas públicas de Assistência Social.                                                                 

Segundo a gerente de vigilância socioassistencial, Aline Rodrigues, encontros como este são importantes para orientar os gestores e técnicos sobre a implantação deste setor, já que apenas 16 municípios possuem a área formalmente estruturada. 

“Sabemos também que apenas 11 municípios possuem profissionais trabalhando exclusivamente neste área. Diante destes números, o Governo do Estado tem trabalhado para que mais municípios implantem o setor e consequentemente, ampliem dos resultados e das ações sociais que estão sendo desenvolvidas em cada território”, explica.

Além da região Norte, as regiões de Alto e Médio Sertão já participaram da oficina. Nas próximas semanas será a vez das regiões do Agreste, Metropolitana, Tabuleiros do Sul, Planalto da Borborema, Serrana dos Quilombos e Baixo São Francisco.

Ações do documento