Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2019 Setembro Equipe da Seades realiza visita técnica à Comunidade Nosso Lar
24/09/2019 - 16h07m

Equipe da Seades realiza visita técnica à Comunidade Nosso Lar

Presidente da Instituição apresentou projeto que deve receber incentivo do Fecoep

Equipe da Seades realiza visita técnica à Comunidade Nosso Lar

Foto: Luiz Luan

Por Fabíola Aguiar

 

Era para ser apenas uma visita técnica dos servidores da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), mas foi muito mais que isso. Logo na entrada, a Superintendente Executiva de Gestão Interna, Jully Beltrão, o superintendente de Avaliação e Gestão da Informação, Rodrigo Araújo, a Gerente de Inclusão Produtiva, Taciane Ferro, além de membros da Comissão de Monitoramento e Avaliação de Projetos da Seades, e Conselheiros de Assistência Social do Estado, foram recepcionados pelo Presidente da Instituição, Vitor José.

Vários espaços verdes, que inspiram à meditação, à paz e à calma nos convidaram a mergulhar num universo de amor ao próximo e de caridade.

A Associação Comunidade Espírita Nosso Lar iniciou suas atividades em junho de 1995, mas somente em 2009 passou a existir juridicamente nos termos do seu Estatuto. Trata-se de uma organização religiosa, dotada de personalidade jurídica de Direito Privado, sem fins lucrativos, não havendo qualquer distribuição de lucros, dividendos ou pró-labore. Atualmente, seis colaboradores trabalham de forma remunerada para garantir a manutenção do local. Os demais são todos voluntários da instituição. Pessoas como dona Maria Ivete da Conceição, de 66 anos, que está há três anos desempregada.

Mas esse não foi um fator limitante para que pudesse ajudar. “Eu estava em casa sem fazer nada. Perdi meu emprego há 3 anos, mas ajudar aqui me ocupa o tempo e me deixa feliz porque auxilio pessoas que estão bem pior do que eu”, afirmou, demostrando orgulhosa. Ela trabalha fazendo as refeições e a limpeza do refeitório e dos banheiros.

Médicos, fisioterapeutas, dentistas, assistentes sociais, professores, advogados, psicólogos, merendeiras e faxineiras também estão na lista dos diversos profissionais que encontramos na Comunidade e doam um pouco do seu tempo para oferecer atendimento às mais de cinco mil pessoas, todos os dias, em salas, consultórios, refeitórios e quartos, já que a Nosso Lar também possui uma casa de passagem e um abrigo para 20 idosos. Também encontramos uma lavanderia comunitária, um auditório e uma quadra de esportes coberta.

Gestantes da comunidade local recebem atendimento diferenciado: pré-natal, enxoval, atendimento psicológico e muito carinho.

Durante o tour pelas instalações, o presidente da instituição, Vitor José, falou, demonstrando orgulho, de tudo o que já foi construído até então graças a doações de pessoas e de empresas. Ele mostrou também onde deverá funcionar a Escola Integral Irmã Blandina. Essa construção vai receber recursos do Fecoep - Fundo de Erradicação e Combate à Pobreza, via Seades.

O valor, já aprovado, de aproximadamente R$ 2 milhões, deverá ser liberado assim que o Conselho analisar as mudanças no projeto arquitetônico que foi readaptado para aproveitar uma antiga estrutura já existente no Nosso Lar.

Além das aulas regulares, as crianças de até oito anos também vão contar com aulas de música, de ballet, praticar esportes e receber alimentação durante o período em que estiverem na instituição: das 8h às 17h.

“É um projeto incrível, muito bem planejado, organizado. É o que oferece a toda comunidade local atendimento profissional e especializado a quem realmente precisa. Eu fiquei impressionada com tantas opções de serviços oferecidos pelos voluntários, e a importância que esse recurso do Fecoep tem pra ampliação das atividades do Nosso Lar. Foi uma visita muito proveitosa”, ressaltou a Secretária Executiva de gestão Interna, Jully Beltrão.

Para quem trabalha diretamente com as famílias da comunidade em vulnerabilidade social, o apoio dos órgãos estaduais de assistência social vai possibilitar ainda mais atendimentos e um pouco mais de qualidade de vida a essas pessoas. “Precisamos olhar para o outro com mais amor, mais respeito, praticando a caridade e o ato de bem servir. Esperamos que toda a parte burocrática seja resolvida o quanto antes. E que, em breve, a Escola Irmã Blandina seja um instrumento de alento para toda nossa comunidade”, ressaltou Vitor José, Presidente da Comunidade Nosso Lar.

Ações do documento