Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2020 Março Secretário de Assistência Social visita o CREN e conhece a oficina de bordados e rendas
25/03/2020 - 10h58m

Secretário de Assistência Social visita o CREN e conhece a oficina de bordados e rendas

Financiamento da Seades pode garantir a manutenção das capacitações em 2020

Secretário de Assistência Social visita o CREN e conhece a oficina de bordados e rendas

Por Karina Lima Moraes

 

Em visita, no último dia 17, ao Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN), o Secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Sílvio Bulhões, junto com a sua equipe, conferiu o trabalho desenvolvido pelo Centro, em parceria com a Seades. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, por meio de repasse do fundo ordinário, financia, entre outras capacitações do Centro, a oficina de bordados e rendas, que é responsável por habilitar as mães das crianças em técnicas de bordado e costura.

Sob a gestão do secretário, e a supervisão da Superintendência de Avaliação e Gestão da Informação, o financiamento para o projeto deve ser renovado ainda em 2020, num valor estimado em mais de R$175 mil. Sílvio Bulhões avalia a importância da manutenção dos trabalhos realizados pelo Centro: “É um projeto muito bonito e eficaz em relação ao combate à desnutrição e à segurança alimentar, e converge fortemente com a atuação do Estado, com foco na primeira infância. É um processo que vem sendo apoiado financeiramente pelo Estado de Alagoas.Temos o intuito de que os recursos sejam mantidos para a instituição, porque ela faz um trabalho muito valoroso em defesa da primeira infância, da segurança alimentar, melhorando a qualidade de vida das famílias”.

Segundo a presidente do CREN, Dra. Telma Toledo, além do curso de bordado e renda, o financiamento da Seades possibilita as capacitações em alimentação saudável e confeitaria. São sete turmas, que se estudam em quatro dias da semana: três turmas de bordado, duas de renda e duas de cozinha. Em relação à importância dos cursos para as mães, a presidente pondera: “Elas nunca querem sair daqui, elas vivem aqui. Pedem para ser voluntárias todos os dias. Elas vêm uma ou duas vezes por semana, ajudam a dar banho nas crianças, ajudam as professoras e ganham uma cesta básica por mês. Algumas fazem todos os cursos: os de artesanato, costura e cozinha”. 

Em funcionamento há dois anos, a oficina de bordado e rendas propicia às mulheres da região o conhecimento de técnicas que as ajuda a se desenvolver pessoal e profissionalmente. “Hoje podemos dizer que somos exitosas porque temos pessoas que encontraram os seus caminhos. Algumas pessoas já utilizam os conhecimentos em suas casas, encontraram formas de ganhar algum dinheiro, têm a possibilidade de empreender. A gente já conseguiu qualificar mais de 100 mulheres nesses dois anos. Temos hoje cerca de 22 mulheres, que são capacitadas, que podem individualmente empreender e estão fazendo juntas com a gente ”, explica Aline Amaral, responsável pela oficina.

A oficina também promove o resgate da técnica de renda Singeleza. Patrimônio imaterial, tombado pelo IPHAN, a renda complementa o conhecimento das alunas nas habilidades manuais. “A história da renda Singeleza é muito bonita, e ela quase entrou em extinção aqui no Estado. É necessário este repasse entre as mulheres e o saber fazer a renda. Elas hoje são bem autônomas e já conseguem repassar umas para as outras”, esclarece Maria Eugênia, que ensina e desenvolve a técnica no Centro. 

O CREN, em Alagoas, fica localizado no Conjunto Denisson Menezes, no município de Maceió, e desenvolve um trabalho de acompanhamento de crianças de 0 a 6 anos de vida, no intuito de evitar a desnutrição e a obesidade na primeira infância. Junto com a sua equipe, o Secretário conheceu os diferentes espaços mantidos pelo Centro. Entre eles, pode-se destacar: cozinha industrial, refeitório, salas de recreação e de oficina, consultório odontológico e salas de aula, que funcionam como semi-internato para crianças em estado de desnutrição mais grave.

Ações do documento